Informações importantes para contratar e usar bem seu plano de saúde

Notícias

Beneficiário, conheça as verdadeiras formas de transmissão da febre amarela

mosquito-719613_1280

Macacos não são transmissores de febre amarela. Você já se informou sobre isso? Assim como todos nós, eles também são vítimas. O real transmissor da doença é o mosquito, os dos gêneros Haemagogus e Sabethes. A doença é sazonal, tendo o verão, o período com mais registro de casos.

A febre amarela não é disseminada de pessoa por pessoa. Você sabe a diferença entre os tipos de transmissão? A transmissão silvestre ocorre em áreas rurais ou florestais e a principal vítima é o macaco sendo picado pelo mosquito, o que não quer dizer que uma pessoa também não possa ser atingida em uma ocasional visita nessas áreas.

Já a transmissão urbana se dá a partir do momento em que a pessoa infectada for à cidade e picada por um mosquito Aedes Aegypti, que passa a transmitir o vírus para outras pessoas e em outros locais. Após infecção, os sintomas aparecem de 3 a 6 dias.

Atente-se aos sintomas

Em sua fase inicial, é comum a pessoa ter dores na cabeça, febre, calafrios, perda de apetite, náuseas e vômito, dores musculares, principalmente nas costas, fadiga e fraqueza. Segundo o Ministério da Saúde, aproximadamente 15% desenvolvem a doença com gravidade, após um dia sem sintomas.

Nesses casos, a febre pode ser mais intensa e a pessoa pode apresentar icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos). Além de hemorragia no trato gastrointestinal, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Essa gravidade é chamada de fase tóxica e em torno de 20% a 25% das pessoas que desenvolvem essa fase da doença tem probabilidade de morrer.

Assim que você começar a sentir os sintomas, procure um médico na sua rede credenciada, pois apenas ele pode diagnosticar e tratar a doença corretamente. O tratamento é sintomático e necessita de total cuidado do paciente.

Diante dos surtos confirmados pelo Ministério da Saúde, foi adotado o uso da vacina com a dose fracionada, ou seja, uma dose dividida para cinco pessoas, protegendo por pelo menos oito anos. É bom lembrar que caso você tenha uma viagem internacional, a dose fracionada não emite certificação.

Devo tomar?

Sim. A dose fracionada está indicada para pessoas a partir de 2 anos de idade, tanto idosos quanto indígenas. Os idosos precisam de atestado médico para receber a vacina. Porém, não está indicada às pessoas em condições especiais, são elas: portadoras de HIV, pacientes que fizeram tratamento com quimioterápicos, transplantes de células-tronco, síndrome linfo proliferativa e mieloproliferativa, e doenças hematológicas.

Entretanto, a dose padrão continua sendo administrada para este grupo de pessoas: crianças de 9 meses até 2 anos de idade, gestantes em área de risco, viajante internacional (é  preciso apresentar o comprovante de viagem no ato da vacinação) e pessoas em condições especiais.

Se você mora em alguma área de risco ou próximo às matas, procure um hospital ou posto de saúde mais próximo e vacine-se.