Entenda o setor

Como funciona

O SETOR PRIVADO

Usado pela maior parte dos brasileiros: trata-se da assistência à saúde do cidadão garantida por empresas operadoras de planos e seguros de saúde, ou seja, fora do Sistema Único de Saúde (SUS).

Projeções apontam que, em 2025, o setor privado será responsável pelo atendimento a 89,9 milhões de pessoas em todo o país. O bom funcionamento desse sistema e sua sustentabilidade no futuro dependerão de seus gestores, de políticas governamentais e do uso adequado dos recursos médicos pelos maiores interessados: beneficiários dos planos e seguros de saúde.

Beneficiários de planos e seguros de saúde

beneficiarios

DESPESAS COM ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS BENEFICIÁRIOS

despesascombeneficiarios

QUEM É QUEM NO SETOR PRIVADO

A Saúde Suplementar reúne os serviços prestados por operadoras de saúde, assim classificadas:

post-img-6

Os beneficiários devem ser fiscalizadores dos gastos com a saúde, evitando que o desperdício inviabilize o funcionamento do sistema privado no futuro. Se você conhece alguém que tem o mesmo plano de saúde contratado por você e que faz mal uso dele, saiba que essa pessoa prejudica você e todos os demais participantes da carteira de clientes. Ajude a passar esta informação adiante e oriente.

Como o Segmento se Organiza

As operadoras remuneram os serviços de saúde, oferecidos por médicos, laboratórios, clínicas, hospitais, centros médicos e outros agentes. À exceção das seguradoras especializadas em saúde, as operadoras também podem prestar serviços assistenciais diretamente.

Consultas, exames, internações, cirurgias e tratamentos clínicos são serviços remunerados com as mensalidades pagas por beneficiários dos planos de saúde que formam as carteiras de clientes.

Cada plano ou seguro de saúde oferecido aos consumidores pelas operadoras – são mais de 1.100 empresas com beneficiários em atuação no país – se diferencia por aspectos apresentados e negociados com o futuro beneficiário, no momento da contratação. São eles:

Perfil dos Beneficiários

Hoje, cerca de 26% da população brasileira têm planos de saúde. São mais de 51 milhões de beneficiários dos serviços de assistência médica. Outros 21 milhões são clientes de planos exclusivamente odontológicos. Para aproveitar melhor estes benefícios, o cidadão precisa entender como os recursos são geridos.

personagem-mulher-adulta2_edit

71 milhões de beneficiários de planos e seguros de saúde em 2015

estetoscopio

49,7 milhões de beneficiários de planos médicos

dentes

22 milhões de beneficiários de planos odontológicos

COMO SE ORGANIZAM OS PLANOS DE SAÚDE

O plano de saúde, médico ou odontológico, é administrado como um fundo mútuo. A função da operadora é organizar a prestação de serviços de assistência à saúde e as contribuições, ou seja, administrar os valores pagos mensalmente pelas pessoas que compõem o fundo.

As mensalidades são a única fonte de recursos do plano de saúde. Quando o beneficiário do plano precisa de atendimento e faz uso de procedimentos como exames, cirurgias, entre outros, a operadora de saúde providencia o pagamento destas despesas aos prestadores de serviços ou reembolsa o beneficiário. Exemplos de despesas:

  • Honorários dos profissionais de saúde, como médicos, dentistas, psicólogos, nutricionistas e outros.
  • Exames de laboratório. Diárias em clínicas e hospitais.
  • Medicamentos administrados na internação. Uso de materiais.
  • Alimentação.
  • Taxas por uso de salas e equipamentos.

Todas essas despesas são saldadas com recursos do fundo mútuo. A impontualidade no pagamento e o uso indevido dos serviços de saúde prejudicam todos os integrantes do grupo, ou seja, os clientes da carteira da operadora de planos de saúde.

O SUS

Segundo a Constituição Federal, promulgada em 1988, o sistema público tem a missão de universalizar o acesso à saúde. Isso quer dizer, portanto, que deve oferecer atendimento de qualidade a todos os brasileiros, beneficiários ou não de planos de saúde.

O sistema privado – composto de operadoras de planos e seguros de saúde, hospitais, laboratórios, clínicas, centros médicos, médicos, dentistas e outros profissionais e entidades – tem a finalidade de suplementar o SUS na atenção à saúde.

Artigo 196 – “A saúde é direito de todos e dever do Estado.”

Artigo 197 – “Cabe ao poder público regular, fiscalizar e controlar.”

Artigo 199 – “As instituições privadas poderão participar, de forma complementar, do Sistema Único de Saúde, segundo diretrizes deste.”

Compartilhar

Vídeos relacionados

2º Fórum da Saúde Suplementar

Para debater as alternativas para o sistema privado de saúde, a FenaSaúde realizou, nos dias 23 e 24 de novembro de 2016, o 2º Fórum de Saúde Suplementar.

Compartilhar

Conteúdo relacionado

Plano de Saúde: Dicas para Usar Bem o seu Plano de Saúde

Informe-se sobre o plano de saúde

Escolhendo com Inteligência o plano de saúde

Escolhendo com Inteligência, como lidar com o plano de saúde

Como é calculado o preço dos planos de saúde

Conheça como funcionam os planos de saúde

Vídeos

A Judicialização | Ligados no Plano Epi. 5 – Websérie

Absenteísmo

A Prevenção contra o Desperdício | Ligados no Plano Epi. 6 – Websérie

Notícias / Artigos

Telemedicina: entenda a regulamentação do atendimento médico pela Internet

15 de fevereiro de 2019

Em 13 de dezembro de 2018, o Conselho Federal de Medicina – CFM, órgão oficial que regula a atividade dos

+ Saiba mais

Cidadania em ação: saiba mais sobre a RESOLUÇÃO 439 de 2018 da ANS

5 de fevereiro de 2019

Entenda a norma administrativa que modifica o processo de atualização periódica do rol de procedimentos e eventos em saúde suplementar.

+ Saiba mais

Como Entender o Aumento das Mensalidades de Planos de Saúde | Versão 3

29 de janeiro de 2019

Nós, representantes das operadoras, reconhecemos as dificuldades dos brasileiros para contratar e manter planos de saúde. A questão é: O que

+ Saiba mais