Novidades do setor » Artigos

Conheça mitos e verdades sobre a vacinação de Febre Amarela

Uma mulher recebe uma vacinação contra febre amarela

A vacina contra a febre amarela é elaborada com o vírus vivo atenuado, sendo produzida inclusive no Brasil (Rio de Janeiro), aplicada por via subcutânea na região do ombro. Vírus atenuados levam esta denominação pois passam por um processo no qual sua virulência (agressividade) é reduzida a níveis considerados seguros para a vacinação.

Em 95% das pessoas o efeito protetor ocorre uma semana após a aplicação e confere imunidade por, pelo menos, 10 anos. Após esse prazo recomenda-se uma segunda dose da vacina, com a qual cientificamente está garantida a imunidade por toda a vida da pessoa.

Está incluída nos Calendários de Vacinação das áreas de risco (regiões rurais de Minas Gerais e Centro-Oeste, incluindo o Distrito Federal, e do Norte do Brasil) e pode ser utilizada a partir dos 9 meses de idade, sendo tolerada a vacinação a partir dos seis meses de idade em casos de epidemia, como atualmente ocorre na zona rural do leste de Minas Gerais.

A vacina contra a febre amarela, também conhecida como “anti-amarílica”, está disponível na rede pública e em clínicas privadas credenciadas, e seu principal uso, fora das epidemias, é para viajantes aos países que exigem o certificado de vacinação da Febre Amarela para passageiros oriundos do Brasil (praticamente todos os países africanos, asiáticos e da América Latina).

Deve ser aplicada, pelo menos, dez dias antes de qualquer viagem para áreas de risco, no Brasil ou no exterior ou aos países que exigem o Certificado. A emissão do Certificado Internacional de Vacinação é feita apenas em alguns locais, regulamentados pela ANVISA.

Não há necessidade de pânico nem correria aos postos de saúde. A epidemia está concentrada em zonas rurais do leste de Minas Gerais, sem evidência de transmissão urbana da doença e o número de casos vem diminuindo após a vacinação de bloqueio que está sendo feita no estado mineiro.

Indicação de uso

A vacina está indicada para:

Viajantes às áreas de risco (zonas rurais de MG, C.O. e Região Amazônica)

Moradores de áreas em epidemia

Viajantes à países com casos de febre amarela

Viajantes à países que exigem o Certificado Internacional de Vacinação de Febre Amarela

Efeitos colaterais

A vacina geralmente produz poucos efeitos colaterais. É utilizada há mais de sessenta anos e efeitos colaterais graves (incluindo óbitos) são raros. Cerca de 5% das pessoas podem desenvolver, 5 a 10 dias depois da vacinação, sintomas como febre, dor de cabeça e dor muscular, sendo infrequente a ocorrência de reações no local de aplicação. Reações de hipersensibilidade são muito raras e geralmente atribuídas às proteínas do ovo contidas na vacina. A ocorrência de encefalite é raríssima, tendo a maioria dos casos ocorrido em crianças vacinadas com menos de seis meses de idade.

Efeitos colaterais graves

Reação alérgica grave (anafilática): ocorre em aproximadamente 1 em cada 131.000 doses aplicadas

Reações no sistema nervoso central (encefalite): cerca de 1 caso para cada 150.000 – 250.000 doses

Comprometimento de múltiplos órgãos com o vírus vacinal da febre amarela: aproximadamente 1 caso para cada 200.000 – 300.000 doses em pessoas até 60 anos e cerca de 1 caso para cada 40.000 – 50.000 doses nas pessoas acima de 60 anos.

Contraindicações absolutas

Crianças com 4 meses ou menos de idade devido ao risco de encefalite viral.

Contraindicações relativas

Gestantes, em razão de possível risco de infecção para o concepto

Pessoas com imunodeficiências resultante de doenças ou de terapêutica, como infecção pelo HIV, Aids, neoplasias em geral (incluindo leucemias e  linfomas), uso de medicações ou tratamento imunossupressores (corticóides, metotrexate, quimioterapia, radioterapia)

Disfunção do timo (retirada cirúrgica ou doenças como miastenia gravis, síndrome de DiGeorge ou timoma)

Uso de outras vacinas de vírus atenuado (MMR, sarampo, rubéola, varicela etc.) nas últimas 4 semanas

Mulheres que tenham sido vacinadas devem evitem a gravidez por no mínimo 30 dias

Pessoas que tenham alergia a:

ovos => a vacina é preparada em ovos de galinha embrionados

eritromicina => antibiótico que faz parte da composição da vacina

gelatina => faz parte da composição da vacina

reação alérgica a dose prévia da vacina

Compartilhar

Vídeos

Pacto Intergeracional

Prevenção

Cuide dos números sem descuidar da sua saúde

Notícias / Artigos

Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza vai até o dia 31 de maio

20 de maio de 2019

A vacina produzida para a campanha de 2019 teve mudança em duas das três cepas que a compõem, e protege

+ Saiba mais

Mecanismos de regulação em Saúde Suplementar: um guia completo

13 de maio de 2019

Os planos e seguros saúde podem utilizar dois tipos de mecanismos de regulação: os assistenciais e os financeiros. Acesse o

+ Saiba mais

Modelo de Atenção Primária à Saúde agrada à maioria dos beneficiários da Bradesco Saúde.

6 de maio de 2019

Operadora privilegia o atendimento primário, personalizado e resolutivo.

+ Saiba mais